Conto: A fonte da justa fortuna

|
Hello Hello Baby! Eu não iria postar hoje por ser domingo mas eu simplesmente não consegui resistir a isso. Hoje será o Oscar e como eu já disse estou muito ansiosa por motivos que vocês já devem saber. Fiz até meu pai comprar pipoca pra isso rs'. Mas agora é sério, hoje trouxe mais um conto do livro Os Contos de Beedle o Bardo, escritos pela minha rainha J.K Rowling (que na minha opinião é a melhor escritora de todas(os)). O conto da vez se chama A fonte da justa fortuna e conta a história de três bruxas e um cavaleiro que buscam pela felicidade e uma vida melhor. É o meu segundo conto preferido de todos, eu sou apaixonada por ele então realmente espero que gostem!

Existe um jardim encantado, fechado e protegido por magia poderosa.  Uma vez por ano, alguém com azar tem a oportunidade de entrar e tomar um banho na Fonte para conseguir a justa fortuna para sempre. Conscientes do muito que pode ajudar, gente desgraçada (com e sem poderes) aglomera-se nas periferias do jardim no dia mais longo do ano. Três bruxas conhecem-se e contam suas lamentáveis histórias.
A primeira, Asha, tem uma doença que nenhum curandeiro pode curar. Confia em que a Fonte possa devolver-lhe a saúde.
A segunda é a Altheda, que foi roubada e humilhada por um feiticeiro. Espera que a Fonte tire os seus sentimentos de inútil e a pobreza.
Aterceira bruxa é Amata, que foi abandonada pelo seu amado e deseja que a Fonte cure sua dor e solidão. Quem das três deve ganhar?
Sem querer competir, decidem unir os seus esforços para entrar todas no jardim e tomar um banho na Fonte. Então, umas enredaderas saem do jardim e cobrem a Asha, a primeira bruxa. Ela agarra Altheda, que também segura Amata. Mas Amata abraça a armadura de um cavaleiro e os quatros entram no jardim. Uma vez que apenas um poderá tomar banho na Fonte, as duas primeiras bruxas repreendem Amata sobre ter incluído um quarto concorrente, o cavaleiro. Ele é trouxa (diz-se que não tem magia) e chama-se Sir Sinsuerte.
Quando decide abandonar o jardim, Amata pede-lhe que fique e que se junte ao grupo. No caminho até a Fonte, enfrentam-se a três desafios: o primeiro é uma monstruosa minhoca branca, gorda e cega. Exige-lhes uma prova de sua dor. Após tentar atacar inutilmente com magia, as lágrimas de frustração de Asha finalmente satisfazem à criatura, e os quatro podem continuar seu caminho.
A seguir, encontram-se com uma inclinada encosta que exige-lhes que paguem o fruto dos seus trabalhos. Depois de horas e horas a trabalhar, os ânimos de Altheda aos seus amigos (o suor do seu rosto) permitem-lhe continuar. Finalmente encontram um riacho que precisa do tesouro do seu passado. É inútil flutuar ou nadar através dele, até que Amata usa sua varinha para retirar as lembranças do amor que a abandonou e atira-as à água (exatamente como na Penseira). Umas pedras para passar aparecem do rio e os quatro podem cruzar até a Fonte, onde devem decidir quem irá tomar o banho.
Asha vai-se abaixo, dorida pela sua doença. Está perto da morte. Está tão mal que não pode chegar a Fonte e pede aos seus três amigos que vão sem ela. Altheda faz rapidamente uma poção para ressuscitar, curando-a imediatamente da sua doença, pelo que já não precisa de tomar banho na Fonte. Ao curar Asha, Altheda descobre suas habilidades para curar e que pode ganhar dinheiro curando outras pessoas, pelo que já não precisa da Fonte. A terceira, Amata, após atirar suas más recordações ao rio já não sente nada pelo seu antigo amor e oferece a Fonte a Sir Sinsuerte como recompensa pela sua coragem.
O cavaleiro surpreende-se pela sua própria sorte e mete-se na Fonte com a sua armadura oxidada. Ajoelha-se perante Amata e pede-lhe a sua mão e coração. Cada bruxa cumpriu o seu sonho. A primeira tem sua doença curada. A segunda encontrou a forma de resolver a sua pobreza. Finalmente, Amata encontra um homem suficientemente com para ela. o cavaleiro. Todos estão felizes. Mas o que os quatro não sabem é que a Fonte não tem poder! Foram eles mesmos que conseguiram curar-se e salvar-se! Nisso consiste a Fonte da Justa Fortuna.

8 comentários:

  1. Ooii, estou bem, obrigada ^^ Então, o Oscar é hoje! Pipoca é muito bom <3 Eu acho que tinha visto esse livro para vender na minha livraria favorita, mas eu não comprei '-----' Gente, esse conto é muito legal! Eu adoro ler coisas assim, me apaixonei pela história. É tão linda, não é? Ameii a postagem <3 Beijoos ~
    ♥ Idealizing

    ResponderExcluir
  2. Eu não ia postar hoje no meu blog mas eu tambem não resisti hehee e nossa você completou 100 seguidores parabens >< não sei se você já viu e belo conto :D
    ✖BetterLand✖

    ResponderExcluir
  3. parabens pelo 100 seguidores linda ^^ Amei o conto xd
    Com carinho, Hina || Aishiteru em Contos ||

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelos 100 seguidores *-*
    meu sonho é chegar aonde você chegou,muita sorte com o blog:3

    Meninas na Web

    ResponderExcluir

Leia as regras:
✯ Todos os comentários são lidos e respondido previamente.
✯ Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post.
✯ Não xingue ou desrespeite a dona e os outros comentaristas.
✯ Sugestões e críticas construtivas são bem vindas, ofensas não.
✯ Deixe o link do seu blog no final do comentário (sem o http://, para não ser considerado spam) e assim eu possa retribuir a visita ♥
Leu tudo?
Então comente!